Estava planejando dar inicio a pratica de correr, para melhorar meu condicionamento físico e minha qualidade de vida, pois de nada adianta ficar guardando dinheiro e investindo se não puder prolongar minha expectativa de vida para desfrutar futuramente o que abnego hoje.

Para realizar esta tarefa, precisava comprar um tênis apropriado. Não precisa ser um daqueles profissionais caríssimos, pois quero corridas leves que duram no máximo 20 minutos. Como bom mão-de-vaca que eu e todos vocês que visitam esse blog somos, procurei no Google por “tênis de corrida com melhor custo benefício”.

A referida busca me direcionou a um blog que listava os tênis de corrida low cost. Colocando meus dotes de muquiranagem em prática, procurei na lista de tênis de corrida com bom custo/benefício aquele que tinha o melhor custo/benefício. Pesquisei em sites como Netshoes, Centauro, dentre outros, e acabei escolhendo um.

Este tênis chegou hoje e estou, como primeira impressão, satisfeito com ele, apesar de não o ter usado ainda nas minhas corridas.

Ok, mas qual o problema disso? O problema é que eu estava totalmente ciente de que, em questão de tênis de corrida, eu não sabia de nada. Mas ao invés de pacientemente estudar sobre o assunto, deleguei a um site uma filtragem de tênis. Sinceramente, não conheço a confiabilidade do site, não sei quem era o autor da postagem e quais critérios ele utilizou, não sei seu background, não sabia de nada. Estava totalmente ciente disso, mas quis correr o risco.

Esta é uma constatação. Na internet, uma ampla parcela da população delega suas decisões para portais e blogs que supostamente entendem de um assunto, ou pelo menos parecem entender mais do que você.

Este episódio mostra o poder que sites e blogs de internet possuem. Um simples texto na internet consegue influenciar uma pessoa a ponto de ela abrir a carteira e gastar seu dinheiro em algo que ela não tem a menor ideia. E olha que me considero uma pessoa chata, que costuma ponderar questões como confiabilidade e custos envolvidos. Arrisco-me a dizer que ser humano médio não se preocupa com estas questões.

Ultrapassando a esfera dos blogs e sites que relatam assuntos sobre os melhores tênis de corrida, vinhos ou drones, podemos considerar que, quando o assunto é sobre investimentos, a responsabilidade e seus efeitos são bem maiores, mais potencializados. Nos blogs sobre assuntos gerais, se tudo der errado, as consequências seriam alguns calos no pé, uma dor de barriga ou algumas ingratas parcelas no cartão de crédito. Mas quando se fala de investimento na bolsa, títulos de renda fixa, fundos de investimento e até criptomoedas, há pessoas que colocam em risco o dinheiro de toda sua vida. O estrago é enorme perante esses assuntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *